Hospital e Maternidade Ana Virginia realiza primeiro parto após reabertura sob administração da Prefeitura de Caaporã

Três dias após a reabertura do Hospital e Maternidade Ana Virgínia, nasceu o primeiro bebê, na manhã desta segunda-feira (9). O parto de Joandson, filho de Adriana Nascimento da Silva, 30 anos, moradora do bairro São Pedro, causou emoção na equipe que acompanhou o primeiro parto no hospital que ficou quase sete meses fechado e foi reaberto após a Prefeitura de Caaporã acionar a justiça para administrar a unidade hospitalar, que anteriormente era administrada por uma entidade filantrópica.

Hospital e Maternidade Ana Virginia realiza primeiro parto após reabertura sob administração da Prefeitura de Caaporã

Três dias após a reabertura do Hospital e Maternidade Ana Virgínia, nasceu o primeiro bebê, na manhã desta segunda-feira (9). O parto de Joandson, filho de Adriana Nascimento da Silva, 30 anos, moradora do bairro São Pedro, causou emoção na equipe que acompanhou o primeiro parto no hospital que ficou quase sete meses fechado e foi reaberto após a Prefeitura de Caaporã acionar a justiça para administrar a unidade hospitalar, que anteriormente era administrada por uma entidade filantrópica.

O recém-nascido veio ao mundo às 08:03h, pesou 2.850 quilos e mediu 50 cm.

Segundo a secretária de saúde de Caaporã, mãe e filho passam bem e a família recebeu todas as orientações sobre o pós-parto, a importância e as melhores formas para o aleitamento materno, assim como todos os cuidados necessários e importantes para o bebê, além dos encaminhamentos para exames. Enfermeira e técnicas de enfermagem fizeram parte da equipe que realizou o parto.

Reabertura

A unidade de saúde estava fechada desde outubro de 2017, por decisão da direção do Hospital, mesmo com todo interesse da Prefeitura Municipal em firmar convênio e efetuando rigorosamente o repasse de verbas do SUS, a documentação exigida pelo Ministério da Saúde não foi enviada para a renovação do contrato de prestação de serviço. A população ficou prejudicada e foi então que a gestão do Prefeito atual decidiu acionar a justiça no intuito de administrar o Hospital para que os moradores de Caaporã e região não ficassem sem atendimento, e assim a juíza da Comarca local determinou que a Prefeitura administrasse a gestão hospitalar.

De acordo com a Prefeitura, a ação foi necessária para que o hospital filantrópico não continuasse com as portas fechadas. Para reabrir o hospital, a administração municipal realizou algumas melhorias e há três dias vem prestando serviços de urgência e emergência com qualidade e equipe completa.

 

 

Fonte: Portal do Litoral