Hospital e Maternidade de Caaporã é reaberto pela Prefeitura com atendimento de urgência e emergência 24h

A Prefeitura Municipal de Caaporã reabriu o Hospital e Maternidade Ana Virgínia, entidade filantrópica vinculada à Associação de Proteção a Maternidade e Assistência a Infância de Caaporã, às 19h desta sexta-feira (06), com equipe médica completa e atendimento de urgência e 24h.

Hospital e Maternidade de Caaporã é reaberto pela Prefeitura com atendimento de urgência e emergência 24h

A Prefeitura Municipal de Caaporã reabriu o Hospital e Maternidade Ana Virgínia, entidade filantrópica vinculada à Associação de Proteção a Maternidade e Assistência a Infância de Caaporã, às 19h desta sexta-feira (06), com equipe médica completa e atendimento de urgência e 24h.

A unidade de saúde estava fechada desde outubro de 2017, por decisão da direção do Hospital, mesmo com todo interesse da Prefeitura Municipal em firmar convênio e efetuando rigorosamente o repasse de verbas do SUS, a documentação exigida pelo Ministério da Saúde não foi enviada para a renovação do contrato de prestação de serviço. A população ficou prejudicada e foi então que a gestão do Prefeito Kiko Monteiro decidiu acionar a justiça no intuito de administrar o Hospital para que os moradores de Caaporã e região não ficassem sem atendimento, e assim a juíza da Comarca local, Daniere Ferreira Souza, determinou que a Prefeitura administrasse a gestão hospitalar.

De acordo com a Prefeitura, a ação foi necessária para que o hospital filantrópico não continuasse com as portas. Para reabrir o hospital, a administração municipal realizou algumas melhorias.

A secretária de Saúde de Caaporã, Amanda Pereira, informou que o prefeito determinou esforço concentrado de toda equipe para ofertar todos os serviços à população. Atualmente o hospital atende com equipes de enfermeiro, técnicos em enfermagem, médicos, auxiliar de serviços, recepcionistas, vigilante e cozinheira.

Os moradores de Caaporã que encontravam as portas do Hospital Ana Virginia fechadas, estavam se dirigindo para o Hospital de Alhandra, cidade vizinha. Mas, a partir de agora quem procurar pelo atendimento hospitalar, será bem atendimento no próprio município.

Outra informação é que após a realização da manutenção das duas ambulâncias do Samu, o serviço voltou a funcionar a todo vapor. Pois ultimamente apenas uma ambulância estava atendendo à população.

Conotação politica para o fechamento do Hospital

Como é público e notório, o Hospital e Maternidade Ana Virgínia é comandado pela família e pelo ex-prefeito de Caaporã por cinco mandatos, João Batista Soares. Quando o médico João Batista Soares está no poder, o hospital que existe há 36 anos funciona, quando outro gestor ganha e passa a administrar a cidade, geralmente um oposicionista, pois o ex-prefeito nunca fez sucessor, aparecem problemas no Hospital e a dificuldade de realizar convênio, numa tentativa de inviabilizar a gestão e de mostrar que o Hospital só funciona com Dr. João. Esse mesmo problema ocorreu no mandato da ex-prefeita Jeane Nazário. Porém,  Kiko Monteiro não ficou de braços cruzados e pensando no povo conseguiu judicialmente a reabertura.

 

Fonte: Portal do Litoral